segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

"Carioca": do serviço braçal para as artes esculturais



Caros Amigos,





Quem transita ou passa seja de automóvel ou motocicleta pela avenida Olsen, esquina com a rua Augusto Pereira de Moraes, em Penápolis, já reparou os grandes trabalhos e esculturas realizados pelo decorador Davi Cardim da Silva, 47 anos, mais conhecido como Carioca. Mas, a maioria das pessoas desconhece sua história de vida, onde enfrentou dificuldades para se tornar referência em nossa região com seus produtos. Profissional há mais de 30 anos, Carioca descreveu que no momento em que ficou desempregado, optou por seguir no ramo de decoração e escultura de vários animais para casas e jardins. “No começo, ninguém acreditava que era eu quem fazia as esculturas, visto ter trabalhado como servente de pedreiro”, lembra.


Após sofrer dois acidentes em uma construção, ficando entre a vida e a morte, optou em seguir esta carreira. Carioca chegou em Penápolis, em 1993, completando seis anos no ramo de decorações e esculturas na cidade, obtendo ajuda de muitas pessoas que levavam os seus produtos nas empresas para a exposição dos mesmos. O profissional cita que recebe propostas de empresas fora da cidade tendo ficado semanas atrás na cidade de Dracena para confecção de lanchas e reparos em barcos. “Não só isso, como também faço tanques de vinhoto para as usinas da região e auxilio na confecção de carros de fibra tunados em Birigui”, diz.


Durante todo este tempo, o penapolense lembra de um trabalho que lhe trouxe muita felicidade. “Não esqueço quando a Prefeitura me contratou em 2003 para fazer a decoração do Carnaval, cujo tema era sobre circo, no qual produzi um elefante e seis cavalos manga larga”, admite. Dentre os desafios, Carioca enfatiza quando pessoas contratam para confeccionar algum objeto que de início pareça difícil, mas que depois de pronto, sente a realização do dever cumprido.


Preparação

Entre os processos para a preparação das esculturas, Carioca enfatiza que se as formas que são usadas na criação dos animais já estiverem prontas, fica mais fácil à produção. “Quando a pessoa faz um pedido diferente que não temos a forma, produzimos o desenho na argila, para depois tirar a forma e a partir daí fazer o pedido”, informa. Após a reprodução, é feito o acabamento na escultura, demorando dois dias de serviço para ser concluída.


Alguns trabalhos, cujo tamanho varia de médio para grande, chegam a demorar até cinco dias de serviço. Neste ano, o profissional já recebeu propostas de serviços em várias cidades da região, especialmente para o Carnaval que acontece no final do mês de fevereiro, aonde chega permanecer até três meses fora da cidade. Mas, durante este tempo em que Carioca exerce este trabalho, há um detalhe: ele nos conta como tudo começou, onde antes de residir em Penápolis, morava no Rio de Janeiro. “Eu desperdicei muito material escondido até aprender esta profissão, prestando atenção nos trabalhos dos outros empregados. Assim que o pessoal saía da empresa, eu procurava fazer os trabalhos escondidos”, lembra.


Oportunidade

Carioca cita que já teve a intenção de montar um curso para as pessoas interessadas em aprender como é feito o trabalho de escultura dos animais para decoração de casas e jardins, visto ter sido procurado por muitas destas em sua empresa. “Caso a Prefeitura queira montar um curso, estou à disposição para estar ministrando as aulas”, disse.


Hoje, o profissional afirma sentir orgulhoso nesta profissão. “Agradeço a todos que me deram a oportunidade direta e indiretamente, para estar mostrando minha habilidade, onde dedico com muito amor e carinho a produção e criação das esculturas”, conclui. Os interessados em adquirir os produtos feitos por Carioca podem estar se dirigindo até sua loja, que fica localizada na avenida Olsen, esquina com a rua Augusto Pereira de Moraes, 491, próximo ao Supermercado Luzitana. O horário de atendimento é de segunda à sexta-feira, das 07h às 17h e aos sábados das 07h às 12h. Pedidos e informações podem ser feitos pelos telefones (18) 3653-3378 ou 9104-0931.

2 comentários:

Clemerson Mendes disse...

Cara, que bela história hein... gostei de saber, ótimo olhar teu para nos repassar.

Cláudio Henrique disse...

Que legal cara, este é o serviço do jornalismo: ir ate o povao. Abraços.