quarta-feira, 11 de março de 2009

Túnel do Tempo: o passado de presente II


Caros Amigos,



Nesta semana, estamos retornando com o quadro "Túnel do Tempo: o passado de presente", destacando um programa infantil que até hoje é transmitido e que faz grande sucesso entre as crianças, jovens e adultos. O Castelo Rá-Tim-Bum é um programa infantil de televisão brasileiro produzido e transmitido pela TV Cultura, e pela Rede Pública de Televisão. Voltado para o público infanto-juvenil e seguindo uma abordagem pedagógica, o programa estreou no dia 9 de maio de 1994 até deixar de ser produzido em 1997.

Parcialmente inspirado no também educativo Rá-Tim-Bum, deu origem a uma franquia televisiva, da qual também faz parte Ilha Rá-Tim-Bum. Castelo Rá-Tim-Bum é uma criação do dramaturgo Flávio de Souza e do diretor Cao Hamburger, com roteiros de Dionisio Jacob (Tacus), Cláudia Dalla Verde, Anna Muylaert, entre outros.


O programa é exibido de segunda a sexta-feira, às 13h30 e às 18h15. A TV Brasil também passa o programa de segunda-feira a domingo, às 13h30min. Na TV Rá Tim Bum todo dia às 9h15, 12h30 e 3h15 e fim de semana às 20h20. O enredo da história envolve o garoto Nino, de 300 anos de idade, mora num castelo nos arredores da cidade de São Paulo. Impossibilitado de frequentar a escola por causa da idade, Nino não tem amigos, morando com seu tio Victor (3.000 anos) e Morgana, sua tia avó (6.000 anos).



Através de um feitiço, Nino faz com que três crianças (Pedro, Biba e Zequinha) entrem no castelo atrás de uma bola. Os três acabam se tornando amigos de Nino e visitam o castelo em todos os episódios. O doutor Abobrinha é o principal vilão porque quer substituír o terreno do castelo e no lugar construír um prédio de cem andares. Outros personagens abrilhantam o programa como o Gato Pintado, Mau, Godofredo, Celeste, Porteiro, Relógio, Tap e Flap, Fura-bolos, Ratinho, Adelaide, Lana e Lara, Radialista, Telekid, Girassol, Bongô, Etevaldo, Penélope, Caipora, Tíbio e Perônio, Neneco e Mariana.


Muitos que assistem ao programa, talvez não saibam de algumas curiosidades que esta postagem estará trazendo como, por exemplo, a audiência da série foi considerada um sucesso para a TV Cultura, com uma média de 12 pontos, índice jamais alcançado por uma série educativa ou por um programa da emissora. Outro curiosidade é que o ator Wagner Bello, que interpretava o Etevaldo, faleceu durante as gravações da série. Por isso para substituí-lo, entrou a personagem Etcetera (Siomara Schroder).


O programa foi considerado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) o melhor programa infantil de 1994. Em 1994 e 1995, recebeu a medalha de prata na categoria melhor programa infantil do Festival de Nova York. Em 1995 ganhou o Prêmio Sharp de Música para o melhor disco infantil. Mas o sucesso não para por aqui: em 2000, foi lançado Castelo Rá-Tim-Bum, o filme, com direção de Cao Hamburger.


O filme é vagamente baseado na série de televisão, sem nenhuma continuidade de enredo, com a adição de novos personagens. Os quadros educativos foram deixados de lado em favor da narrativa. Nino, que era interpretado pelo adulto Cássio Scapin, passou a ser vivido pelo garoto Diegho Kozievitch. As demais crianças, que eram vividas por atores pré-adolescentes, foram interpretadas por crianças mais novas. O filme teve um orçamento total de sete milhões de reais, pouco comum para um filme infanto-juvenil brasileiro.


E para matar saudade, segue dois vídeos, sendo o primeiro a abertura do programa e o segundo um dos quadros mais visto pelos telespectadores que é as músicas que o Ratinho cantava:









2 comentários:

Diego Fernandes disse...

Opaaaa!!!!! Esse programa é o máximo! Dr. Abobrinha vestido de Penélope é o melhor. Só faltou você dizer que o Flávio de Souza, slém de ter sido um dos idealizadores, participou da série fazendo o personagem Tíbio, da dupla Tíbio e Perônio! Hehehe!

Blog do Cláudio Henrique disse...

Cara, valeu por atender a um pedido meu. Castelo é fodastico. Abraços.