terça-feira, 12 de agosto de 2008

Enquanto acontece os Jogos Olímpicos.....pessoas inocentes morrem


Caros Amigos,


Enquanto todos nós estamos vidrados em acompanhar os jogos olímpicos, torcendo para nossa delegação brasileira, acabamos não acompanhando os noticiários locais, nacionais e até mesmo internacionais. Enquanto muitos descreve a felicidade, alegria em acompanhar os jogos e a abertura que já aconteceu, acabam esquecendo ou não sabem que muitas pessoas inocentes estão perdendo suas vidas.


Estou postando este artigo para uma grande reflexão sobre este problema que afeta não só os países em guerra, como também todo o mundo. Quem acompanhou um pouco nos jornais, pode ver uma cena muito triste que está acontecendo na Rússia e Geórgia que estão em guerra. A crise começou na quinta-feira (7), quando a Geórgia, aliado próximo de Washington, enviou tropas para retomar a Ossétia do Sul, uma região aliada da Rússia que declarou sua independência da Geórgia em 1992. Moscou, que apóia a secessão do pequeno território, respondeu enviando tropas ao país vizinho.


O conflito entre Geórgia e Ossétia do Sul começou em 1922, quando Josef Stalin (1879-1953) transformou a região separatista em Região Autônoma da República Socialista Soviética da Geórgia e deu à área a planície adjacente, incluindo Tskhinvali, habitada principalmente por georgianos. Em 10 de novembro de 1989, o Congresso de Deputados Populares da região proclamou sua conversão em República Autônoma (dentro da Geórgia), decisão que o Parlamento georgiano declarou inconstitucional. No ano seguinte, em 20 de setembro, os deputados proclamaram a soberania e a criação da República da Ossétia do Sul.


Dois anos depois, em 1992, a República proclamou sua independência da Geórgia em um acordo de paz que, contudo, não evitou o país de manter tropas na região. A Rússia, que intermediou acordos de cessar-fogo, tem mantido negociadores de paz na região para garantir a soberania da Ossétia do Sul. A Ossétia do Sul é considerada uma importante rota de transporte de petróleo e gás natural na fronteira russa. A Cruz Vermelha relata que mais de 40 mil refugiados já deixaram a região, enquanto 2.000 pessoas morreram no conflito, segundo dados do governo de Moscou.


A Rússia continuou avançando para além dos territórios separatistas em direção à Geórgia, no quinto dia do combate. O presidente georgiano assinou uma promessa de cessar-fogo, que foi ignorada pelo país vizinho. Com tudo isso que estamos vendo, chegamos a grandes conclusões para nossa reflexão. Mas o ponto que gostaria de compartilhar com você, amigo leitor que dispensou alguns minutos lendo este artigo, é a falta de amor entre os humanos em nossos dias, onde pessoas inocentes, que não tem nada a ver com a guerra, perderam sua vida.


Infelizmente, os governantes não acabam pensando nas consequências de uma guerra. Se quiserem fazer a guerra, que joguem bomba neles próprios e não nas casas das pessoas que nem sabem o porque do conflito, embora a grande maioria seja por dinheiro. Gostaria de ver qual seria a reação destes governantes quando algum familiar morresse nestes conflitos se eles não acabariam rápido com a guerra. Mas enquanto não acontece isso, a guerra continua, tirando a vida de pessoas inocentes e acabando com a economia dos países.

Um comentário:

Blog do Cláudio Henrique disse...

Grande Ivan Ambrósio. Pois é este é o nosso mundo totalmente retorcido. Festa de um lado e babaquices de outro. Bela reflexão carinha, abraços.