sexta-feira, 23 de maio de 2008

Um feriado que nunca esquecerei



Caros Amigos





Estou há exatamente 3 semanas estou em meu novo emprego. Trabalho no jornal "Diário de Penápolis", aqui da cidade de Penápolis e no feriado do dia 22, fui escalado para ficar de plantão. Foi minha primeira experiência na áera do jornal impresso ficar de plantão. Já havia ficado de plantão no rádio, e como todos sabem, quando acontece alguma coisa, o rádio é o mais fácil de se fazer, pois apenas com o celular você pode dar as informações do acontecimento e por isso, não tinha uma noção de como seria no jornal impresso.


Confesso que no primeiro momento não queria que acontecesse nada durante todo dia. E assim aconteceu durante todo dia. Fui na casa de minha avó, dei uma volta na cidade, fui na lan-house, mas sempre com o celular no bolso, caso tocasse e fosse uma emergência, estaria pronto para o que acontecesse. Foi chegando a noite e já fui me acostumando de que nada iria acontecer e que seria um plantão sem novidades. Mas como existe aquele velho ditado que "a noite é uma criança", algo ainda iria acontecer para fechar a minha noite de plantão.


Estava indo embora para casa, quando resolvi parar perto de um posto de gasolina para conversar com meus amigos. Neste momento, estava tudo tranquilo, pessoas passavam de bicicleta, casais passavam namorando, e eu como de costume, conversando com meus amigos sobre o novo emprego e contando piadas. De repente, vejo uma moto com os faróis desligados e logo atrás uma viatura policial. Logo pensei que seria uma fuga. Não deu outra: era uma fuga policial. Provavelmente, o condutor da moto não tinha habilitação e estava fugindo da polícia.


Eu e meus amigos ficamos paralisados vendo esta cena quando o condutor da moto foi virou para fugir dos policiais e neste momento foi mudar a marcha da moto, levando um pequeno tranco. Quando aconteceu isso, o policial "pisou fundo" no acelerador da viatura, vindo a atropelar a moto, e devido ao impacto que teve, os rapazes foram jogados em uma distância de 2 metros, caindo no portão de uma loja de peças.


Logo que eles caíram, um policial já desceu da viatura com sua arma, uma 765 em punho dizendo para ambos irem para a parede. Enquanto este revistava os rapazes, o outro policial chamava reforço pelo rádio amador, e depois de mais ou menos 5 minutos, mais duas viaturas chegaram. Peguei logo meu celular e começei a fazer fotos do ocorrido. Quando cheguei em casa, contei para meus pais o fato que havia presenciado.
Sem dúvida, um feriado que nunca mais vou esquecer!!!

Um comentário:

Cláudio Henrique disse...

Grande Ivan. Meu que da hora, este relato. Eu mesmo presenciei uma fuga em Campinas, muito massa. E pra vc ver, que ate nos momentos de descanso nosso instinto jornalístico prevalece. Abraços e belo relato.