segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O aumento da violência nas cidades do interior


Caros Amigos,


Está ficando comum vermos, lermos e ouvirmos notícias sobre o aumento da violência nas cidades do interior paulista. Embora isto, segundo autoridades ligada a segurança sejam considerados como normais, estes problemas vem trazendo medo e insegurança por parte dos habitantes. Muitos colocam a culpa ao governo estadual por não suprir as necessidades, investindo grandes recursos para a segurança; já outros enfatizam que este problema se deve aos presídios e penitenciárias que estão espalhadas ao redor das cidades, onde as famílias e até mesmo os detentos acabam fixando moradia.


Em Penápolis, cidade com quase 60 mil habitantes, a situação não é diferente. Com o crescente aumento da violência, integrantes do movimento popular denominado “Cláudio Alberto Pereira”, prepararam uma “carta aberta” e estão colhendo assinaturas dos munícipes da cidade que será encaminhando à diversas autoridades políticas e policiais, entre elas o governador José Serra, onde os representantes cobram uma postura contundente das autoridades em relação à violência que assola a cidade e região.


Para os manifestantes, a transferência de inúmeras penitenciárias da Capital para o Interior, como já era previsto na época do anúncio da implantação, é a principal causa da atual situação de violência, devido a invasão de bandidos de facções de alta periculosidade na cidade. Os líderes do movimento comentam que enquanto milhares de bandidos foram trazidos para a penitenciária, os recursos financeiros do governo não foram suficientes para atender a necessidade de segurança pública mais ostensiva na cidade.


Outros setores afetados, como o da saúde e da justiça, também não tiveram investimentos para comportar a nova demanda. “Os detentos são assistidos na área de saúde e judiciário, e, mesmo Penápolis não sediando uma unidade prisional, os detentos da Penitenciária Compacta de Avanhandava, distante 15 quilômetros, recebem atendimento médico e do judiciário em nosso município” relata a Carta Aberta.


O movimento leva o nome de Cláudio Alberto Pereira, que foi vítima de uma tentativa de latrocínio recentemente em Penápolis quando foi vitima de um assalto e tentou defender seu filho Cláudio Alberto Pereira Júnior que era ameaçado por um bandido que apontava a arma na cabeça dele. O assaltante efetuou vários disparos, um o acertou de raspão e outro o abdômen de seu filho, que foi socorrido e hospitalizado, mas felizmente se recuperou do ferimento.


Infelizmente, aconteceu uma fatalidade alguns dias depois, Cláudio Alberto Pereira (pai), faleceu acometido de infarto durante a realização de uma reunião pública realizado na sede da OAB, quando após narrar às autoridades e demais pessoas presentes, o drama vivido no estabelecimento comercial de seu filho, que segundo ele havia sido assaltado três vezes pelos mesmos marginais.


Embora seja feita reuniões para discutir soluções e idéias, é preciso ação das autoridades competentes em solucionar este problema que assola não somente Penápolis como outras cidades do interior.


Esperamos que movimentos como este, faça sensibilizar estas autoridades em trazer soluções para combater a violência, onde quem permanece preso é o cidadão e não o marginal.

5 comentários:

Blog do Cláudio Henrique disse...

Grande Ivan. Cara, só os nossos governantes não veem o barril de pólvora que está virando o interior de São Paulo. Se amarrotam nossas cidades de penitenciarias com presos de alta periculosidade, deviam também investir em segurança, e nao ficar tirando serviços policiais daqui.
Logo logo terá sede do PCC na regiao, formado essencialmente por meliantes locais.
Abraçao cara, bela analise.

blogdozemarcos.com disse...

Olá, Ivan. Acompanhei a história do senhor que morreu logo após contar sua triste experiência. Lamentável. Espero que Penápolis consiga conscientizar de verdade suas autoridades e que isso se espalhe para as outras cidades da região. Quando será que os governantes vão se conscientizar que investimentos na segurança e em saúde são prioridades em vez de mais vereadores nas Câmaras?

Lucas Matheus de Carvalho disse...

Ivan, parabéns pelo texto. Acho interessante a ação desse movimento em tentar sesibilizar as nossas autoridades. O aumento da violência tem preocupado as pessoas e nos tornado verdadeiros reféns do medo. Para que isso mude, precisamos que o governo invista na segurança pública, torne os policiais cada vez mais preparados e equipados. Espero que a manifestação desse movimento de Penápolis, resulte em ações concretas por parte dos nossos governantes. É uma questão de sobrevivência! Abraços.

Solange disse...

Olá Ivan, muito obrigada por seu comentário, sou filha do sr. Claudio e entro sempre na internet para obter notícias. Meu pai era uma pessoa que amava a vida, hoje faz 2 meses que não temos mas ele aqui conosco, fico agradecida por todas as pessoas que se sensibilizaram, em especial ao movimento que estão fazendo, meus pais sempre sonharam em morrar no interior para ter uma vida tranquila, infelizmente isso não foi possível.
Mas agradeço de coração a atenção e espero que vcs não parem de se mobilizar pedindo proteção as autoridades.
Abraços Solange

Ivan Ambrósio disse...

Pois é Solange, infelizmente a violência já chegou nas cidades do interior. Mas conforme disse nesta postagem, é preciso que as autoridades entrem em ação para que isso não aumente mais do que está. Isto sem falar que estes movimentos ajudam e muito, onde pessoas de boa índole se sensibilizam em ações para combater a violência, fazendo assim com que volte a normalidade na cidade