quinta-feira, 18 de junho de 2009

A regressão do Jornalismo


Caros Amigos,

No dia 17 de junho de 2008, o Jornalismo e seus apaixonados na profissão tiveram um dos piores golpes que uma profissão possa ter: a não obrigatoriedade do diploma. Todos as pessoas que visitam este blog sabem muito bem a paixão deste blogueiro ao Jornalismo, sendo uma das melhores profissões do mundo, ou melhor, era uma das melhores profissões até o dia 17 de junho.

O motivo de minha indignação e revolta? Simples e básica: o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira por 8 votos a 1 que é inconstitucional a obrigatoriedade do diploma em curso superior específico para o exercício da profissão de jornalista no Brasil, ou seja, qualquer pessoa, independente de sua formação que esteja apta em escrever nos jornais, revistas ou blogs, falar bonito no Rádio ou na TV seja considerado como Jornalista.

Os sete bobos da corte suprema, acompanhados de seu chefe, o "excelentíssimo" (se é que podemos chamar ele) senhor Gilmar Mendes, presidente este dotado de irracionalidade e falta de profissionalismo, barraram e acabaram com as esperanças dos brasileiros de ter uma imprensa digna, capacitada e comprometida com os problemas da população, tornando-se o porta-voz. Apenas o ministro Marco Aurélio Mello, a única voz sensata daquele Supremo, votou a favor do diploma, afirmando que o jornalista deveria "ter uma formação básica que viabilize a atividade profissional, que repercute na vida do cidadão em geral".


Enfim, os "senhores" ministros afirmaram em sua opiniões que não levam a sério o trabalho do jornalista, que às vezes incomoda os mesmos, mostrando a verdade e os "erros" drásticos que eles cometem, sendo estes diplomados, com respeito a leis e julgamentos, favorecendo as classes mais altas. Finalizando esta postagem, faço das palavras do presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murillo as minhas palavras sobre a atitude do ministro Gilmar Mendes e seus 7 bobos da corte suprema derrubando a obrigatoriedade do diploma para Jornalista.


“É um contrasenso. A sociedade exige profissionais extremamente especializados. Lamento que o Supremo tenha andado na contramão. Mas tenham certeza que nem o jornalismo e nem a nossa categoria vão desaparecer”. Agora é o momento de todos nós, jornalistas diplomados e estudantes de Jornalismo nos unirmos e mostrarmos a todos que Jornalista pautado na ética, seriedade e compromisso com a população é Jornalista com diploma!!!

Jornalista...


Jornalista não diz, informa.
Jornalista não tem assunto, tem pauta.
Jornalista não tem lista, tem mail-list.
Jornalista não tem novidade, tem furo.
Jornalista não fala, faz locução.
Jornalista não tem amigos, tem colegas.
Jornalista não memoriza, grava.
Jornalista não lê legenda, lê teleprompter.
Jornalista não é fofoqueiro, é interlocutor.
Jornalista não escreve, faz matéria.
Jornalista não ouve barulho, ouve bg.
Jornalista não pergunta, entrevista.
Jornalista não descobre, apura.
Jornalista não brinca, entretem-se.
Jornalista não escolhe, seleciona.
Jornalista não esquece, desarquiva.
Jornalista não procura lugar, procura locação.
Jornalista não tem conhecidos, tem fontes.
Jornalista não responde, dá lead.
Jornalista não entende, sintetiza.Jornalista não mente, edita a resposta!


"Médico acha que é deus. Jornalista tem certeza!"(ricardo noblat)



A decisão do STF regrediu a comunicação brasileira!!! Fica registrado a indignação deste blogueiro estudante do 8º semestre do curso de Comunicação Social - Jornalismo.

7 comentários:

Lívia disse...

Eu acho que o Gilmar Mendes deveria contratar um cozinheiro pra ser o assessor de imprensa dele......sem comentários! É deprimente ver isso acontecendo com a gente..Somos nós, jornalistas, que proliferamos a informação e isso tem que ser feito de forma séria! É absurdo!!!!

blogdozemarcos.com disse...

::: Não se preocupe, amigão! O mercado vai continuar exigindo diploma e especialização. Aguarde e confie!

Laurindo Bossa disse...

Se não exigem diploma para presidente, por que exigir para jornalista?

Caros comanheiro!!

vezzan bemm...

Eu cresci com a visão de que o Jornalismo era para poucos. Para dominar a comunicação, as palavras, a informação... enfim, exercer a profissão mais gratificante e poderosa da Terra.

Desculpem-me pela palavra de baixo calão, mas eu quero que a decisão do STF se Foda... No Jornalismo, mais do que em qualquer outra profissão... o diferencial somos nós mesmos.

Temos N argumentos para ver que essa decisão é uma verdadeira palhaçada. Um exemplo para Gilmar Mendes. Eu mesmo poderia ser um Advogado. Basta que eu seja um bom contador de histórias, mentiroso e que saiba decorar e manipular a fraca legislação brasileira. Advogados defendem estupradores, assassinos de crianças... tudo pelo dinheiro.

Angélica Neri disse...

Está difícil acreditar...

Claudio Henrique disse...

Um verdadeiro tapa na cara da boa informaçao, abraços

Anônimo disse...

Tenho um papel que não vale seu nome: diploma. Mas tenho conhecimentos que vão além, de qualquer um que se julgue jornalista, porque sou JORNALISTA.
Estão desmoralizando nossa profissão e não podemos fingir que nada acontece. É lamentável, num país que se julga democrático, ainda sofrermos esse tipo de repressão. Voltamos no tempo e estamos em plena ditadura.
Vou me candidatar à presidência da república, já que meu diploma não serve pra mais nada!!!

JORNALISTA DIPLOMADA

Anônimo disse...

Gostei do Blog, bem informativo, e atualizado. é isso que os jovens de hoje precisam, ser atualizados. E um blog desse é bem conveniente e proprio aos nossos tempos