sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

A honestidade é a melhor política



Caros Amigos,


Tive o enorme prazer em ser um dos primeiros repórteres que entrevistaram esta mulher que teve uma nobre atitude devolvendo R$ 20 mil reais que havia encontrado em uma lixeira num supermercado aqui em Penápolis.



A catadora de papel Lourença Palma da Cunha, 55 anos, encontrou ontem à tarde, em torno de R$ 20 mil numa lixeira de um estabelecimento comercial, localizado no centro da cidade, devolvendo em seguida ao proprietário. Há cinco anos, Lourença, que antes era doméstica, percorre diariamente toda a cidade em busca de materiais recicláveis como forma de ajudar no sustento de sua família, onde mora o marido, seus dois filhos e quatro netos.


Humilde, a catadora de papelão explica como foi que encontrou o dinheiro. “Todos os dias vou neste estabelecimento recolher os materiais recicláveis. Ontem, recolhi as sacolas que estavam na lixeira, onde uma delas me chamou a atenção”, comenta. A gerente do supermercado estava limpando o escritório, quando por engano, jogou alguma sacolas no lixo.


Ao abrir, Lourença notou uma porção de notas em dinheiro, no qual achou que o mesmo era de colecionadores ou figurinhas. “Chamei o rapaz que trabalha na marcenaria defronte minha casa, quando ele notou que o dinheiro era de verdade”, destaca. Do mesmo jeito que encontrou a catadora se pronunciou em entregá-lo a seu respectivo dono, aonde chegando ao estabelecimento, percebeu que os funcionários estavam apavorados.


“Os funcionários já tinham procurado em todo o estabelecimento quando cheguei com a sacola. Quando mostrei o dinheiro que haviam perdido, o pessoal agradeceu dizendo que foi Deus quem havia me mandado encontrar”, admite. Por meio de um cheque que estava datado para o dia 10 de março, Lourença e o rapaz que trabalha na marcenaria puderam notar que era verdadeiro.


Outro ponto destacado foi que ao encontrar o dinheiro, não tinha nenhum centavo em seu bolso para comprar um refrigerante. “Minha mãe sempre ensinou que não devemos pegar nada que seja de outras pessoas e por isso repasso para meus filhos e netos esta importante lição”, ressalta. Lourença reflete que no mundo em que vivemos, onde a ganância prevalece 90% das pessoas não entregariam o dinheiro, mostrando sua felicidade em realizar este grande gesto ao próximo.

Durante todo o tempo em que recolhe materiais recicláveis, pagou os estudos de seu filho Ricardo, formado ano passado no curso de Administração. Além de catadora, Lourença é voluntária por meio período no Fundo Social de Solidariedade, ajudando nas organizações dos eventos beneficentes e atendimento ao público. Para Maria Horacília do Nascimento, responsável pelo Fundo Social, é com muita satisfação e orgulho terem uma pessoa como Lourença trabalhando voluntariamente.
“Quem bom seria se houvesse neste mundo pessoas honestas como ela”, enfatiza. Com o dinheiro ganho como gratificação, cerca de R$ 200,00 a catadora citou que comprou alguns alimentos para a festa de aniversário de seu filho e neto, além de pagar uma conta. “Espero que este gesto que fiz sirva de exemplos para as outras pessoas, pois a honestidade é a melhor política”, finaliza.


Atitudes como estas nos motivam cada vez mais realizarmos atitudes em prol de uma grande mudança neste mundo em que vivemos onde a ganância e o orgulho predominam. Que todos nós tomemos o exemplo de Dona Lourença e apliquemos este grande ditado que a "honestidade é a melhor política".

Um comentário:

Natalí disse...

"Atitudes como estas nos motivam cada vez mais realizarmos atitudes em prol de uma grande mudança neste mundo em que vivemos onde a ganância e o orgulho predominam. Que todos nós tomemos o exemplo de Dona Lourença e apliquemos este grande ditado que a "honestidade é a melhor política"."

Falou tudooooooooooooooooo...

É emocionante ver que entre tudo que há de ruim (e é muito), ainda encontramos pessoas assim!

Bjs Ivan!
Parabéns pelo blog!